Archive for October, 2010

Italy Trip

We had a week off of classes (our Fall break, I guess), so we took the opportunity to go to Italy for some sightseeing and to visit Danny’ sister Tammy and her family. Lots and lots of fun and our little girls were amazing!

Appian Way
Danny had lots of fun trying to teach Eliana about 'ancient rocks' on the Appian Way.
Our family at the Colosseum
Our family at the Colosseum
Eliana fell asleep at St. Peter's
Eliana fell asleep at St. Peter's
Danny and our girls inside the Pantheon
Danny and our girls inside the Pantheon
The Florence Duomo, and my own Hercules
The Florence Duomo, and my own Hercules
Eliana's activity of choice
Eliana's activity of choice
Sophia was the center of attention whenever she was awake.
Sophia was the center of attention whenever she was awake.
All ready to go play!
All ready to go play!
Eliana and her cousin Deborah
Eliana and her cousin Deborah
Blessed time with family
Blessed time with family

First Peter, in Portuguese

I recently had the opportunity to teach a 10 minute Bible lesson at prayer group on Thursday night, and so I spent many long hours preparing my first real lesson in Portuguese.  I had a ton of fun with it, and so I thought I would share it with you here.  That is, if you read Portuguese.  Otherwise, it won’t do you much good.

Needless to say, this isn’t a great indication of my level of language proficiency, because in most life situations I don’t get to write out my thoughts word for word, have them corrected by my language teacher, rewrite them, practice them, have my pronunciation corrected by aforementioned language teacher, etc… before delivering the message.  But still, at least it gives some indication of where I am.  I give the credit to God for anything worthwhile in the Portuguese or the Bible lesson itself.  So with that, here’s a thought from First Peter:

Vamos começar esta noite lendo Primeira Pedro, capítulo 1, versículos 3 a 7.  Cada pessoa lê um versículo, como é habitual.

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua grande misericórdia, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, para uma herança incorruptível, incontaminável e que se não pode murchar, guardada nos céus para vós que, mediante a fé, estais guardados na virtude de Deus, para a salvação já prestes para se revelar no último tempo, em que vós grandemente vos alegrais, ainda que agora importa, sendo necessário, que estejais por um pouco contristados com várias tentações, para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória na revelação de Jesus Cristo. – 1 Pedro 1:3-7

Olhem outra vez para o verso 5, para a palavra “salvação.”  Vocês notam alguma coisa interessante nela?  Digam-me, neste versículo, a salvação é no tempo passado, presente, ou futuro?  A salvação já se revelou?  Não, esta passagem diz, “a salvação já prestes para se revelar no último tempo”.  É futuro, não é?

Isso é interessante para mim, porque é muito diferente da maneira normal como nós falamos.  Normalmente dizemos coisas como, “Eu fui salvo,” e “Jesus resgatou-me dos meus pecados,” e outras frases semelhantes.  Falamos sobre a salvação no tempo passado.  Estas frases não estão erradas; há muitas passagens na Bíblia que falam assim da salvação.  Mas uma coisa maravilhosa sobre a Bíblia é a variedade.  Todas as partes da Bíblia não são mesmo iguais, não falam exactamente da mesma maneira.  Os livros da Bíblia são como vozes diferentes, cantando partes diferentes da mesma canção, criando uma bela harmonia.  Nós precisamos de aprender a ouvir todas as partes, para que possamos ouvir também a sinfonia magnífica que Deus compôs, a inteira Palavra de Deus.

A Primeira Carta de Pedro é uma voz nesta sinfonia, e fala da salvação consistentemente no tempo futuro.  “A salvação já prestes para se revelar no último tempo.”  O que é o último tempo?  Pois, claro, é o dia quando Jesus voltar.  É o Dia do Juízo, quando Jesus colocar as ovelhas à direita e os bodes à esquerda.  E muitas pessoas que não seguiam a Deus nesta vida vão para o tormento eterno, mas também muitas pessoas que seguiam a Deus vão para a eterna vida maravilhosa.  Vai ser um dia glorioso e horrível ao mesmo tempo, não é verdade?

E qual vai ser o nosso destino, naquele último tempo?  Essa é a questão à qual Pedro está a responder.  Não devemos estar nada preocupados, devemos estar bem confiantes, porque temos uma viva esperança (versículo 3), porque a nossa herança incorruptível está guardada nos céus para nós (versículo 4), porque nós próprios estamos guardados, pelo poder de Deus Todo-Poderoso, para a salvação já prestes para se revelar naquela altura (versículo 5).  Tudo já está arranjado.  Tudo está preparado.  A salvação é segura, e está à nossa espera.  É como uma grande prenda, já comprada e embrulhada e escondida, prestes para se revelar no dia da festa.  Essa é a salvação que está à nossa espera!

Okay, então Primeira Pedro fala da salvação no tempo futuro, mas o que é que isso importa?  É importante porque realmente esta ideia pode mudar por completo a nossa perspectiva da vida, e pode ser um grande encorajamento quando nós enfrentarmos dificuldades na vida.  Pedro escreveu esta carta para pessoas que sofriam muito, sobretudo por causa da sua fé.  Perante muitas ameaças e perigos verdadeiros, era fácil ficarem desencorajados, e até desistirem da vida Cristã.  Talvez alguém pudesse ter pensado, “Vou ser um cristão discreto, para não chamar a atenção.”  Mas Pedro, pelo Espírito Santo, encorajava-os a serem Cristãos vigorosos, a serem luzes brilhantes no meio dos descrentes.  E a maneira de os encorajar era recordá-los da salvação à sua espera, recordá-los do prémio magnífico no fim da longa corrida.

Vocês conhecem a história da lebre e da tartaruga?  As duas estavam numa corrida, e a lebre, que corria muito rápido, pensou que praticamente já tinha ganho.  E por isso, ficou preguiçosa, fez uma pausa, e adormeceu.  Estava a pensar no passado, não no futuro.  Mas a tartaruga, que andava devagarinho, continuava a andar passo a passo.  Tinha só uma coisa na cabeça: o prémio no fim da corrida.  E por isso, a tartaruga chegou primeiro e ganhou o prémio.

É uma história muito simples, mas a mesma coisa acontece connosco.  Nós estamos numa corrida bem longa, e às vezes muito difícil.  Quando o percurso fica duro e as pernas ficam completamente estafadas e os altos e baixos da vida parecem grandes demais para nós, é fácil ficarmos mornos e moles na vida Cristã.  Nestas alturas, Primeira Pedro recorda-nos para não tirarmos os olhos do grande prémio que está à nossa espera no fim da corrida.  Como ele diz um pouco mais tarde, “Estejam atentos e ponham a esperança inteiramente na graça que lhes será concedida quando Jesus se manifestar.”  Vamos pensar sempre na salvação que vai ser nossa naquele dia maravilhoso.  E com este pensamento na cabeça e esta esperança no coração, vamos continuar fortes e corajosos, por muito difícil que seja o percurso.

Então, hoje, enquanto oramos, vamos louvar a Deus em primeiro lugar por esta viva esperança, pela salvação que está pronta para nos ser concedida.  Todos os outros louvores fazem sentido por causa deste grande louvor.  E quando nós apresentarmos a Deus os pedidos, vamos lembrar-nos que, apesar das dificuldades da vida, o prémio final vale muito a pena.  Essa é a nossa esperança e alegria, hoje e para sempre.